VICIADOS EM PORNOGRAFIA

Gilson e Elizabete Bifano
Desde quando a revista “Playboy” circulou pela primeira vez, em 1953, US$ 4,9 bilhões circulam em torno da pornografia. Além disso, 28.258 pessoas a cada segundo acessam a sites pornográficos, sendo 72% homens e 28% mulheres. A cada 39 minutos um novo vídeo pornográfico é lançado nesse mercado.
Estas são algumas informações que permitem compreender melhor este tema, que tanto prejuízo traz à pessoa, à família e à sociedade.
Não há ninguém imune
O fato é que não há ninguém imune à pornografia, inclusive cristãos. Uma organização cristã americana chamada Promise Keepers, que trabalha somente com homens, em uma de suas pesquisas apontou que 45% deles admitiram ter contato com pornografia no espaço de uma semana. Uma revista americana cristã voltada para mulheres informa que 34% de suas leitoras admitiram ter acessado sites pornográficos, e que uma em cada seis disseram lutar contra o vício da pornografia.
Homens e mulheres, religiosos e ateus, crianças, adultos e idosos, casados e solteiros, não há ninguém imune. Todos podem ser vítimas. Enquanto os homens procuram pornografia mais pesada, as mulheres são mais sutis, procuram textos e romances eróticos. O vício do homem é mais erosivo, enquanto da mulher é mais corrosivo.
Entenda os cinco estágios do vício de pornografia
Exposição precoce – A maior parte das pessoas viciadas em pornografia começa cedo. Eles veem as coisas quando são muito jovens, às vezes ainda crianças.
Adicção – Depois vem o vício. A pessoa continua voltando à pornografia. Torna-se uma parte regular de sua vida. Neste ponto já está viciado.
Escalada – Depois de um tempo começa a escalada. A pessoa começa a procurar por pornografia cada vez mais.
Dessensibilização – A pessoa começa a tornar-se insensível. A pornografia comum não excita mais. A pessoa fica desesperada para sentir a mesma emoção novamente, mas não consegue encontrá–la.
Quebra da fronteira – Neste ponto, muitos homens e mulheres fazem um salto perigoso e começam a agir no mundo real. Movem-se do papel e de imagens de pornografia para o mundo real, procurando prostitutas e homossexuais.
O que fazer?
Pessoas viciadas em pornografia devem em primeiro lugar conscientizar-se da dependência, da mesma forma que um usuário de drogas.
Procurar ajuda profissional através de terapia individual ou em grupos de apoio seria o segundo passo.
Outras atitudes também são importantes: Ter um mentor cristão para acompanhamento, usar a internet, por exemplo, em lugares totalmente à vista de pessoas. Delegar ao cônjuge a tarefa de apagar os históricos dos sites visitados.
Acima de tudo, pessoas viciadas em pornografia, especialmente no meio cristão, devem confessar este pecado a Deus e pedir forças para que, com ajuda do Espírito Santo, esta dependência seja vencida dia a dia.
Fonte: O jornal batista de 24/7/11, p. 6

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>